Busca

ESCUTA.

mês

janeiro 2016

A indiferença

Diogo Tourino de Sousa

A leitura de O homem que amava os cachorros, romance histórico de Leonardo Padura sobre a trajetória de Leon Trotsky e seu assassino, o militante espanhol Ramón Mercader, ocasiona momentos perturbadores de reflexão acerca da ação política e sua dificuldade de apreender o contexto. Como é sabido, Trotsky foi perseguido pelo regime stalinista, tornando-se um incômodo refugiado pelos países por onde passou, até encontrar tragicamente seu destino no México, quando foi assassinado. Malgrado a possibilidade de relermos sua luta e o modo como interpretou a revolução, no romance de Padura somos convidados a sentir suas angústias, a conviver com suas dúvidas ao ponto em que o próprio avançar da causa proletária cobra revisões. Continuar lendo “A indiferença”

A longevidade da “MPB”

Jorge Chaloub

Impressiona, ao primeiro olhar, a longeva centralidade de certos artistas no imaginário musical brasileiro. Seja na imprensa ou no debate público, um breve apanhado dos grandes músicos em atividade usualmente retorna a nomes que emergiram ao longo dos anos 1960 e encontraram sua maturidade artística durante a década de 1970, tal como Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, João Bosco, Paulinho da Viola, Milton Nascimento, Edu Lobo, Gal Costa, dentre outros. Há, por certo, o reconhecimento de novos talentos e personagens, mas o olhar crítico, especializado e interessado, poucas vezes equipara outras figuras ao patamar desses destaques da música nacional. Continuar lendo “A longevidade da “MPB””

Marcelo Rubens Paiva e as permanências da ditadura brasileira

Fernando Perlatto*

Ainda estou Aqui é um livro que dói. Que mutila a alma. É um livro que deve ser lido por aqueles que queiram entender melhor, a partir de um prisma muito particular, o que foi a ditadura civil-militar no Brasil e os seus trágicos desdobramentos. Continuar lendo “Marcelo Rubens Paiva e as permanências da ditadura brasileira”

O ódio

 Diogo Tourino de Sousa

Tenho lembrado com frequência do impactante longa O ódio (1995), dirigido pelo francês Mathieu Kassovitz. No filme, um judeu, um árabe e um pugilista convivem no subúrbio de Paris, reféns de toda sorte de preconceitos e arbitrariedades, sob forte exclusão simbólica. A trama se desenrola no momento em que Vinz, o judeu interpretado por Vincent Cassel, encontra uma arma e jura assassinar um policial como forma de retaliação ao tratamento violento perpetrado pelas forças policiais. O enredo transcorre amarrado numa anedota aparentemente inofensiva. Trata-se do caso do suicida que salta de um edifício alto e, ao passar pelos andares em queda, diz “até aqui, tudo bem… até aqui, tudo bem”. A moral perversa da história é, por certo, óbvia: sobreviver ao longo do caminho não nos impede de padecer no final. Continuar lendo “O ódio”

[Escuta recomenda] Os 50 anos do primeiro Chico

Escuta recomenda o especial produzido pela Rádio Batuta, vinculada ao Instituto Moreira Salles, dedicado aos 50 anos do primeiro LP de Chico Buarque. Neste programa, é possível ouvir as gravações originais na voz de Chico de clássicos como “A banda”, “A Rita”, “Pedro Pedreiro”, “Olê, Olá” e “Meu Refrão”, além de regravações destas mesmas canções por artistas como Wilson Simonal, Elis Regina, Gal Costa e Paulinho da Viola.

Segue o link: http://www.radiobatuta.com.br/Episodes/view/957

A Constituição e o cenário político – um olhar sobre a crise

Jorge Chaloub

Mesmo os mais serenos, e divergentes, analistas observam com preocupação o cenário político atual. O sentimento de instabilidade, típico dos momentos de crise, confere maior importância a fatos outrora vistos como corriqueiros e produz uma nítida sensação de aceleração do tempo político, acumulando durante algumas semanas um número de reviravoltas digno de anos inteiros.   Continuar lendo “A Constituição e o cenário político – um olhar sobre a crise”

Ruy Castro e “A Noite do meu Bem”

Fernando Perlatto*

Dentre aqueles jornalistas brasileiros que se dedicam ao estudo de personagens ou de períodos históricos específicos, Ruy Castro talvez seja um dos mais sofisticados. É possível incluir também nessa galeria outros jornalistas-escritores, a exemplo de Elio Gaspari, com seus excelentes volumes dedicados à ditadura, e Lira Neto, com as suas ótimas biografias sobre Getúlio Vargas. São jornalistas que possuem o difícil dom de contar bem uma história, ancorados em uma pesquisa empírica séria e bem referenciada, assim como no diálogo com uma bibliografia secundária pertinente. Continuar lendo “Ruy Castro e “A Noite do meu Bem””

Escuta. Revista de política e cultura

Escuta. Revista de política e cultura é um espaço voltado para a reflexão em tempos de gritaria. Em uma época onde a escuta é atividade secundária e apenas se quer berrar, aqui se pretende conversar, dialogar e ecoar – sem quaisquer pretensões de verdades absolutas – temas, debates e questões públicas candentes relacionadas à cultura e à política do Brasil e do mundo.

WordPress.com.

Acima ↑