Busca

ESCUTA.

Tag

Conjuntura

Um alento em meio a tormenta

Jorge Chaloub*

Os símbolos são uma dimensão inescapável do mundo político. Eles atuam sobre o modo como os atores entendem seu lugar e suas ações, de forma a delinear os limites da própria conjuntura. A capacidade de condensar experiências e expectativas, inerente ao símbolo, faz com que ele seja capaz de influir no tempo e no espaço da disputa política, munido da eventual capacidade de abrir linhas de fuga no tempo e no espaço. Continuar lendo “Um alento em meio a tormenta”

As estruturas elementares do genocídio: o tiro ao alvo humano entre os sacoiracs – Antropologia Política (Pesquisa em andamento)

Eduardo Mares Bisnetto*

Em país distante, de um planeta plano como uma cova rasa, a divisão de responsabilidades se dá assim: o presidente-rei-autocrata, de quem já muito descobrimos, manda em tudo o que vê. Por ser levemente míope, ele delega algumas funções para alguns de seus súditos privilegiados. São governantes de nível intermediário, que os habitantes daquele país chamam de governadores. Continuar lendo “As estruturas elementares do genocídio: o tiro ao alvo humano entre os sacoiracs – Antropologia Política (Pesquisa em andamento)”

O Ministério da Casa Verde

Luís Falcão*

…e até os monarcas mais absolutos estão submetidos ao meu império.

Erasmo de Roterdã, Elogio da Loucura, 1511

Quando soube da notícia de que Sérgio Moro iria ser ministro da justiça e da segurança pública, veio-me à mente a única possibilidade para entender o acontecimento: reler O Alienista. Continuar lendo “O Ministério da Casa Verde”

O conceito de necropolítica: ensaio de alguns porquês e as razões de agora

Simone Gomes*

 “A gente tá sendo atacado.”

Bacurau, 2019.

[1]Cena 1:

É verão, julho de 2014, Eric Garner, um estadunidense de 44 anos, morador de Staten Island, Nova Iorque, EUA, implora para um policial do Departamento de Polícia de Nova Iorque (NYPD), em frente à uma loja, que pare de perturbá-lo. Essa não seria a primeira vez que o policial procura o horticulturista, negro, pai de seis filhos e avô de treze netos, nos arredores. Continuar lendo “O conceito de necropolítica: ensaio de alguns porquês e as razões de agora”

A cruzada dos velhos vs a cruzada das crianças

Matheus Vitorino Machado*

Ainda que pareça contraintuitivo, os populares e onipresentes super-heróis nem sempre foram recebidos com o entusiasmo e carinho dedicados a suas versões cinematográficas. Sua mídia de origem, as histórias em quadrinhos norte-americanas, foi alvo de constante e intensa censura. Continuar lendo “A cruzada dos velhos vs a cruzada das crianças”

Brasil em duas velocidades: realidade e desejo

 

Andrés del Río*

André Rodrigues*

A bússola não funciona. No Brasil pareceria que já não nos guia, nem tenta orientar. Pelo menos se sente isso, de forma massiva. Errado e certo são a mesma coisa, verdade e mentira estão no mesmo patamar. Mas não nos confundamos, norte e sul continuam aumentando assimetrias, e estão piorando as formas da tolerância e aprofundando divisões: raça, gênero e desigualdade. Existe um mundo a duas velocidades: a realidade e desejo. Continuar lendo “Brasil em duas velocidades: realidade e desejo”

Contra o público

Diogo Tourino de Sousa*

A tragédia brasileira foi retratada com primor pelo ensaio de Kléber Mendonça Filho, O som ao redor (2012). No drama, um bairro de classe média da zona sul da cidade do Recife tem sua rotina alterada com a chegada de uma milícia de rua, que oferece segurança aos moradores em troca de remuneração. Continuar lendo “Contra o público”

Meritocracia à brasileira

Eduardo de Borba*

Nesse texto tentarei evidenciar algumas relações entre categorias que, por si só, mereceriam teses. Para essa tarefa me apoiarei no livro A construção da sociedade do trabalho no Brasil, do sociólogo Adalberto Moreira Cardoso, e em sua investigação que analisa a ligação entre a legitimidade das ordens sociais e o sentimento de justiça de seus concernidos. A ideia é defender que uma sociedade extremamente desigual, como a nossa, embaralha esse sentimento de justiça por meio da própria percepção da desigualdade social. Relacionarei a seguir ideias sobre legitimação, justiça, liberalismo e desigualdade, partindo de duas razões que sustentam a tese de Cardoso. Continuar lendo “Meritocracia à brasileira”

Quem foi, quem é e quem será Sérgio Moro?

Igor Suzano Machado*

Ao final de 2016, o então juiz Sérgio Moro, que se notabilizara como principal peça do conjunto de engrenagens que fez funcionar a famigerada operação Lava-jato –  que, por sua vez, se fez famosa por desbaratar um dos maiores esquemas de corrupção já conhecidos – declarou que jamais entraria para a política.[i] Em 2019, no entanto, aparentemente contrariando o que dissera antes, o mesmo Sérgio Moro abandona sua carreira na magistratura para compor o governo do presidente recém-eleito Jair Bolsonaro. Continuar lendo “Quem foi, quem é e quem será Sérgio Moro?”

WordPress.com.

Acima ↑