Busca

ESCUTA.

mês

agosto 2017

As fronteiras do mundo: norte e sul, homens e mulheres em O Estranho que Nós Amamos

João Martins Ladeira*

O Estranho que Nós Amamos se inicia com uma imagem que invoca exatamente o oposto do que indica. No começo do filme, vê-se a copa de algumas árvores, entre as quais se enxerga as frestas do céu e a luz que passa pelo topo da folhagem. O quadro se desloca e, à impressão de uma vegetação esparsa, sucede-se uma floresta densa, fechada a ponto de bloquear estes raios que outrora se percebia. Continuar lendo “As fronteiras do mundo: norte e sul, homens e mulheres em O Estranho que Nós Amamos”

Anúncios

Do presidencialismo de coalizão aos parlamentarismos de ocasião

Jorge Chaloub*

Após anos de decantada estabilidade, louvada de forma excessiva por não poucos analistas, a política brasileira tomou feições surpreendentes mesmo aos olhos do mais heterodoxo observador. Continuar lendo “Do presidencialismo de coalizão aos parlamentarismos de ocasião”

Um mundo prenhe de fascismo

Paulo Henrique Paschoeto Cassimiro*

Em seu artigo “O que é o fascismo?”, publicado em 1944 no periódico socialista inglês Tribune, George Orwell constata que a definição do que seja o “fascismo” é um dos maiores desafios de seu tempo. “Uma das organizações americanas de pesquisa social fez recentemente essa pergunta a cem pessoas diferentes e obteve respostas que foram desde ‘democracia pura’ até ‘demonismo puro’” [1]. Continuar lendo “Um mundo prenhe de fascismo”

Lição de Escrita: elementos para se pensar a importância do livro e da leitura no Brasil

Leonardo Nóbrega da Silva*

Os livros têm ocupado um lugar de transcendência na nossa sociedade, resguardando na imaginação coletiva uma distância em relação às questões materiais. As ideias e seus autores parecem, portanto, flutuar num ambiente etéreo, distante das preocupações supostamente mesquinhas relacionadas ao mercado e à política. Continuar lendo “Lição de Escrita: elementos para se pensar a importância do livro e da leitura no Brasil”

Lei Maria da Penha: essa “leizinha vagabunda” e nada de novo no front

Luciana Vieira Rubim Andrade*

Recentemente, o caso de violência vivenciado pela modelo Luiza Brunet foi amplamente divulgado nos noticiários e nas redes sociais. A modelo denunciou seu então marido por agressão física, que teve como consequência quatro costelas fraturadas, além de lesões faciais. Continuar lendo “Lei Maria da Penha: essa “leizinha vagabunda” e nada de novo no front”

WordPress.com.

Acima ↑