Busca

ESCUTA.

mês

novembro 2018

Pequena irrealidade palpável

João Martins Ladeira*

I

Para um filme sobre viagens ao espaço, são raros os momentos em O Primeiro Homem (First Man, 2018, de Damien Chazelle) no qual desfrutamos o espetáculo prometido. Mantidos boa parte do tempo no interior dos claustrofóbicos módulos espaciais, somente uma vez ou outra vemos a nave pela perspectiva espetacular de um olho flutuando no espaço. Continuar lendo “Pequena irrealidade palpável”

Anúncios

Negócios fortalecem a comunidade negra: Vale do Dendê, Black Money e Economia Criativa

Herlon Miguel Cruz Carvalho *

De acordo com IBGE, mais da metade da população brasileira é composta por negras e negros (pretos e pardos), totalizando 54,9%. Essa população ganha, em média, R$ 1.200,00 a menos que as pessoas brancas. Continuar lendo “Negócios fortalecem a comunidade negra: Vale do Dendê, Black Money e Economia Criativa”

Prazeres incômodos: O Doutrinador e o limite da barbárie

João Martins Ladeira*

O Doutrinador (2018, de Gustavo Bonafé e Fabio Mendonça) é, sem dúvida, mais uma entre as muitas variações sobre a mítica da Lava Jato, nas infinitas derivações possíveis dessa fábula sobre a ordem que, finalmente, conseguiu-se elaborar no Brasil. Movimento raro esse no qual se consegue construir uma mitologia para uma sociedade – ou pelo menos para uma parte dela. Continuar lendo “Prazeres incômodos: O Doutrinador e o limite da barbárie”

Para a organização de uma frente democrática

Alexandre Mendes*

As declarações de Ciro Gomes em entrevista à Folha de São Paulo[1] sobre a liderança da oposição ao governo Bolsonaro não deveriam surpreender. Continuar lendo “Para a organização de uma frente democrática”

O WhatsApp não pode parar

João Martins Ladeira*

O debate público sobre a indicação de Moro para o Ministério da Justiça (e Segurança) se concentrou, de fato, em aspectos essenciais, mas não foi completo. Continuar lendo “O WhatsApp não pode parar”

Participação social no Brasil: morte ou catalepsia?

Débora Rezende de Almeida*

Comecei a escrever este texto há um ano atrás. Não sei exatamente se tenho resposta para a pergunta do título. A conjuntura política atual do país intensificou a incerteza, presente desde o impeachment presidencial, a respeito do futuro da participação social e da agenda de direitos a ela vinculada nas últimas décadas.  É indispensável dizer que vivemos em tempos sombrios e que o contexto político não favorece previsões de longo prazo. Continuar lendo “Participação social no Brasil: morte ou catalepsia?”

Desafios da conjuntura e armas da teoria política: golpe, democracia e fascismo

Thais Florêncio Aguiar* entrevista Cesar Guimarães**

Realizada em início de agosto, esta entrevista de Cesar Guimarães se converteu em um depoimento reflexivo sobre democracia, golpe de estado e fascismo, muito oportuno para nutrir o pensamento crítico nesse momento pós-eleitoral. Continuar lendo “Desafios da conjuntura e armas da teoria política: golpe, democracia e fascismo”

Lembranças dos anos 1990: Um artífice maléfico

João Martins Ladeira*

I

Um artesão irônico paira sobre Barton Fink – Delírios de Hollywood (Barton Fink, 1991, de Joel e Ethan Coen). Esse artífice se sobrepõe a todos os demais artistas apresentados ao longo da narrativa. É ele quem põe em cena sequências de acontecimentos carentes de explicação. Ao longo da película, algumas delas cumprem um papel de máxima importância. Continuar lendo “Lembranças dos anos 1990: Um artífice maléfico”

Fazer das tripas coração

Gabriela Mitidieri Theophilo*

Das mais surpreendentes
é a vida de tal faca:
faca, ou qualquer metáfora,
pode ser cultivada. Continuar lendo “Fazer das tripas coração”

WordPress.com.

Acima ↑