Busca

ESCUTA.

mês

fevereiro 2016

A maldição de Chagas e a hidra carioca

Mayra Goulart*

1. Rio Maravilha ou a história de uma decadência:

 A história do Rio de Janeiro desde a metade do século XX pode ser resumida a uma palavra: decadência. Em termos econômicos o município nunca exibiu qualquer tipo de vocação produtiva, excetuando o turismo. Porém, até 1960, o fato de sermos a capital do país nos garantia prestígio, além de uma situação fiscal privilegiada e postos de trabalho no aparato estatal aqui instalado. Estes foram os tempos de glamour. Daí para frente, fomos ladeira abaixo. Continuar lendo “A maldição de Chagas e a hidra carioca”

[Escuta Recomenda] O drama dos refugiados

Escuta Recomenda o site do Word Press Photo, que disponibiliza todas as fotos vencedoras da 59ª edição do World Press Photo, a maior premiação do fotojornalismo mundial. Esta edição do prêmio teve como uma de suas temáticas principais o drama dos refugiados.
As fotos foram selecionadas entre 82.951 fotos realizadas por 5.775 fotógrafos de 128 diferentes países.
Continuar lendo “[Escuta Recomenda] O drama dos refugiados”

O filho de Saul

 

Wallace Andrioli Guedes*

No livro É isto um homem?, Primo Levi narrou o processo de desumanização sofrido pelos prisioneiros de campos de concentração e extermínio durante a Segunda Guerra Mundial (o próprio escritor italiano foi uma dessas vítimas): primeiramente, lhes eram tirados seus pertences, depois, seus nomes (passavam a ser reconhecidos por números), e, em seguida, na luta desesperada por sobrevivência, eram levados a cometer atos atrozes. Continuar lendo “O filho de Saul”

A canção no tempo presente

Marcos Lacerda *

Existe algo como uma nova música brasileira? Artistas da canção das últimas décadas conseguiram superar a cisma entre MPB e Tropicalismo, que sempre retorna como fantasmagoria, já sem a mesma espessura de outros tempos? Temos algo como uma música contemporânea, no sentido de uma música que superou os impasses de uma geração brilhante de cantores surgida no contexto da década de 60? A resposta a estas indagações depende, claro, de algumas definições. Continuar lendo “A canção no tempo presente”

[Escuta Recomenda] Um intelectual público

Em tempos de crescente especialização, o domínio de diversas áreas do conhecimento mais parece resquício de outra época, arcaísmo destinado ao desaparecimento. Umberto Eco, falecido na última sexta-feira, não apenas representava perfeitamente a continuidade dessa tradição como, por outro lado, desmentia a imagem do sábio encastelado em seus livros e distante das questões mais prementes da sociedade. Continuar lendo “[Escuta Recomenda] Um intelectual público”

Nada está solto

Alessandra Maia Terra de Faria*

É perceptível e de fácil constatação aferir que ânimos acirrados e cenário político turbulento caminham juntos, peculiares ao tempo de crise, nacional ou externa. A vida gira em torno de ondas de inflação para uns e de juros negativos para outros. Tempos estes em que grandes nações envidam esforços variados para afastar a estagnação econômica e seus efeitos, são os mesmos nos quais alguns retomam no Brasil a discussão sobre apego ou desapego em relação ao Estado. Continuar lendo “Nada está solto”

As ressacas de Junho

Jorge Chaloub

Mais de dois anos após as Jornadas de Junho, ainda é difícil precisar seus efeitos na política e na sociedade brasileira. Em meio a um amplo leque de opiniões e análises, restam mal formuladas, como é natural com eventos desse tipo, as respostas para importantes questões que cercam o acontecimento. Continuar lendo “As ressacas de Junho”

[Escuta Recomenda] Fala, Mangueira!

Escuta recomenda a homenagem feita pela Radio Batuta, vinculada ao Instituto Moreira Salles, à Estação Primeira de Mangueira, escola campeã do carnaval do Rio de Janeiro de 2016. Neste especial, foram selecionadas várias canções que celebram a escola, interpretadas por nomes como Cartola, Chico Buarque, Jamelão, Alcione, Caetano Veloso e Paulinho da Viola. Continuar lendo “[Escuta Recomenda] Fala, Mangueira!”

Uma ofegante epidemia, que se chamava carnaval

Fernando Perlatto *

Minha gente era triste, amargurada, / Inventou a batucada, Pra deixar de padecer, / Salve o prazer, salve o prazer (Assis Valente)

Uma discussão que ganhou as redes sociais ao longo das últimas semanas foi aquela relacionada à pertinência ou não de se organizar o carnaval em uma época tão conturbada como a que o Brasil está vivendo. Ainda que este seja um debate recorrente em todos os anos, quando se aproxima fevereiro, ele ganhou novos contornos com a exacerbação da crise econômica que o país está passando. Continuar lendo “Uma ofegante epidemia, que se chamava carnaval”

WordPress.com.

Acima ↑