A Revista Escuta nasceu com o objetivo de abrigar posições diversas sobre temas relacionados à política e à cultura. A defesa da pluralidade não implica, entretanto, vacilar na guarda de alguns valores, como a democracia e a república, claramente atacados ao longo dos últimos meses. A votação de ontem foi o ápice de um processo de degradação da ordem constitucional de 1988, justamente aquela que tanto custou aos que lutaram para superar o longo período autoritário precedente. Vivenciamos a admissibilidade do impeachment de uma presidente eleita sem crime de responsabilidade e a possibilidade da emergência de um governo ilegítimo, que não apenas conspira contra a ordem constitucional com a sua existência, mas toma como grande objetivo destruir as bases da democracia social firmemente estabelecida por nossa Constituição. Para além das suas inúmeras ilegalidades, o processo foi protagonizado por personagens com convicções francamente contrárias aos mais singelos valores democráticos e republicanos, como as criminosas falas da família Bolsonaro, elogiando torturadores e golpistas, e as próprias motivações criminosas do Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, bem expõe. Não se trata de defender preferências partidárias, mas da batalha pela legalidade democrática. Nesse sentido, a Escuta se colocará ao lado dos que estarão nas ruas lutando pelo retorno ao Estado Democrático de Direito.

Os Editores.

Imagem: ato de entrega das emendas populares (13/08/1987). Crédito: Arquivo da Câmara dos Deputados. Disponível em: http://www.memorialdademocracia.com.br/constituinte/galeria. Acesso em: 18 abr. 2016.

Anúncios